quinta-feira, 20 de novembro de 2008

video

Os anfíbios urodelos são caracterizados por possuírem uma cauda desenvolvida. São representantes desta ordem as salamandras e tritões.

Classe: Amphibia (Anfíbios)

Subclasse: Lepospondyli

Ordem: Caudata

Subordem: Salamandroidea

Família: Salamandridae

Nome Científico: Taricha alpestris / Pleurodeles watlii

Nome Científico: Tritão dos Alpes / Salamandra-dos-poços

Tritões e Salamandras


Os Tritões e as Salamandras pertencem à Classe dos Anfíbios, uma palavra de origem grega que significa "vida dupla", que é uma referência às fases aquática e terrestre que se alternam ao longo do seu ciclo de vida. O próprio termo salamandra remonta à época da Grécia antiga e significa "lagarto de fogo". Foi Aristóteles um dos primeiros a sugerir que as salamandras teriam a capacidade de resistir ao fogo e até mesmo extinguir as chamas com a libertação de fluidos corporais.

Os anfíbios foram os primeiros vertebrados a viverem fora da água e representam uma evolução extremamente importante para a biodiversidade dos ecossistemas terrestres, no entanto ainda dependem dos ambientes aquáticos para a reprodução. Como respiram pelos pulmões e também através da pele, esta precisa estar permanentemente húmida e viscosa. Por isso vivem dentro da água ou em ambientes húmidos e muitos deles têm costumes nocturnos, uma vez que durante a noite a humidade é maior.

A Classe dos Anfíbios divide-se actualmente em três Ordens: Ápodes ou Vermiformes (Cecílias), Anuros, que não possuem cauda na fase adulta (rãs e sapos) e os Urodelos ou Caudados que possuem uma cauda na fase adulta.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Perereca

ESTRATÉGIA DE REPRODUÇÃO:
Desova em lagoas permanentes; os machos costumam coaxar submersos (apenas com a cabeça de fora da água), no meio da vegetação aquática flutuante. Está ameaçada pela introdução de espécies exóticas* de peixes que são predadores de girinos e dos adultos, quando estes estão em atividade reprodutivas na superfície das lagoas. *Espécie exótica significa que não pertence ao hábitat. Este caso refere-se à espécies de peixes trazidos de outros países (bagre-africano, tilápia, cat- fish, carpa, dentre outros) e, às vezes, de outras regiões do Brasil, como é o caso do tucunaré.


TAMANHO: 26 mm (macho)
OCORRÊNCIA: Santa Catarina (regiões de planalto), Paraná Rio Grande do Sul.